Pesquisar

A ILHA DOS AMORES – I

Etiqueta

Solstício

YouTube – Veni Veni Emmanuel

YouTube – Veni Veni Emmanuel.

Veni, veni Emmanuel;
Captivum solve Israel,
Qui gemit in exilio,
Privatus Dei Filio
Gaude! Gaude! Emmanuel,
Nascetur pro te, Israel!

Veni, veni, O Oriens;
Solare nos adveniens,
Noctis depelle nebulas,
Dirasque noctis tenebras
Gaude! Gaude! Emmanuel,
Nascetur pro te, Israel!

Veni, Clavis Davidica!
Regna reclude caelica;
Fac iter tutum superum,
Et claude vias inferum
Gaude! Gaude! Emmanuel,
Nascetur pro te, Israel!

Veni, veni Adonai!
Qui populo in Sinai,
Legem dedisti vertice,
In maiestate gloriae
Gaude! Gaude! Emmanuel,
Nascetur pro te, Israel!

ver tradução no comentário

Solstício de Inverno

Solstício VII – Noite de S. João na Rússia

Ivankupala.jpg

 

Night on the Eve of Ivan Kupala, Noite da celebração de S. João- Henryk Hector Siemiradzki.

Ivan Kupala é o nome de S. João na Rússia

 

 

Solstício VI – Stonehenge

 Nota: Este texto e conjunto de fotografias está por acabar e ”consertar”.  Deve ser influência das ruínas…   fim da nota.

Encontrei pessoas que desconheciam não só o significado das festas destas datas, como até as próprias festas. Uma dessas pessoas é licenciado em ciência das religiões, (!) para além de mestrado e doutorado em dois outros campos…

A rejeição, a obscuridade e a negação de toda a paideia, e da transmissão de algum conhecimento sobre as relações entre o mundo interior e o exterior, tem como consequência movimentos de ignorância como a Inquisição, ou o surgimento de ideias que depressa se disformam, e às vezes se transformam no pior, como se observa no filme ”What the bleep do we know?”.

Ler descrição das fases de construção segundo as últimas teorias arqueológicas, aqui

Stonehenge Restorations

Archaeoastronomy at Stonehenge

the great stone circles and horseshoe arrangements for which Stonehenge is famous are later additions to the monument (mostly Stonehenge III) and are not essential to the lunar and solar calculations.

Winston Churchill (center) hosts the Ancient Order of Druids
at Blenheim Palace on 15 August, 1908

Initiation of novices into the Ancient Order of Druids at Stonehenge, August, 1905

By 1949 only two of these sects survived, and by 1955 only one, the British Circle of the Universal Bond, which claimed to be not only the true descendants of Henry Hurle’s original Ancient Order of Druids but also of William Stukeley’s Order of Druids purportedly founded in 1717. In 1963, an internal dispute produced the breakaway Order of Bards, Ovates and Druids. The Bards celebrated their rites at Tower Hill. The Bond, however, continued to welcome the midsummer dawn at Stonehenge. Ler

A Druidess, holding mistletoe and a sickle, standing next to a dolmen
(painting by La Roche, late nineteenth century)

Solstício V – dia de S.João

fotografias amavelmente cedidadas por Dionísio Leitão

https://i0.wp.com/www.uc.pt/artes/6spp/imagens/lourinha_s.joao-deserto1.jpg

S. João Baptista no Deserto
por Mestre da Lourinhã, 1.ª metade do Séc. XVI
c. 1515, óleo sobre madeira
146 x 135 cm
Museu da Santa Casa da Misericóridia
Lourinhã, Portugal

N Astrup-St. Hansbål ved Jølstervatnet.jpg

Noite de São João na Noruega – ”St. Hansbål ved Jølstervatnet”

Nikolai Astrup, norueguês (1880–1928)


Solstício III

https://i2.wp.com/www.uc.pt/artes/6spp/imagens/manuel_henriques-s.francisco_xavier-1.jpg

S. Francisco Xavier

Manuel Henriques, 1593 – 1653
c. 1640, óleo sobre tela
80 x 70 cm
Sé Nova
Coimbra, Portugal

Solstício: Relógios, Ritmos e Disciplina II

Em Stonehenge muitas pessoas se reunem para celebração do Solstício de Verão, a 21 ou 22 de junho, o dia mais longo do ano.

Mas é claro que ir a um local como Stonehengue, não é necessário para compreendermos a necessidade de nos harmonizarmos com o ritmo Cósmico, ou para realizarmos essa harmonização. Muito pelo contrário: ela requer a sintonização entre o que nos é próprio, – nosso local, este espaço terreno, nosso estrato cultural, o espírito que comungamos – e o ritmo divino que se manifesta e nos é oferecido através da Natureza e na Natureza.

Essa sim, seria uma forma de nos harmonizarmos com os outros povos. Na ausência de tal realidade, estamos, através de todos os bem intencionados actos de internacionalização e comunhão fraternal com outros povos, realizando o contrário daquilo que pensamos.

Solstício: Relógios, Ritmos e Disciplina I

Sunset 2005
Stonehenge, Inglaterra

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑