Pesquisar

A ILHA DOS AMORES – I

Etiqueta

EDUCAÇÃO

Efeito da televisão sobre o nosso cérebro

Pequeno vídeo de 3,44 minutos; elucida muito bem o efeito da televisão ou do computador. Considero relevante ele falar da sensação de lentidão que por contraste, os actos da realidade – os quais exigem vontade e esforço – adquirem.

Jornalismo? Informação? Música?

“Gods of Entertainment: The Power of Mass Media to Influence”

Quem domina o que os seus filhos vêem, ouvem, pensam?

Cinco grande companhias têm nas suas mãos a Indústria da Comunicação e do Entretenimento, do Jornalismo, das Notícias, da Televisão, da Música e dos Filmes. Têm o lucro, e o poder de dominar as mentalidades e toda a Informação.

AOL+TIME WARNER

VIACOM

WALT DISNEY

NEWS CORPORATION

VIVENDI UNIVERSAL

“Profissão: chicoteador de mulheres”

Sexta-feira, Março 17, 2006
Sobre: “Profissão: chicoteador de mulheres”

Foi publicado, na última edição da Corrier Internacional – Edição Portuguesa (nº49), um artigo no mínimo inquietante; e certamente revelador, para aqueles que não são conhecedores das diferentes realidades deste mundo. Trata-se de uma entrevista ao muçulmano Moubarak Bin Hamad Bin Rachid Al-Fadhi, um sargento de quarenta e sete anos, «executor de penas religiosas» na Arábia Saudita. Há vinte anos que segue os ensinamentos do Profeta, venerando Deus todo-poderoso, diz o próprio – ou seja, chicotea as mulheres que são enviadas para a prisão de Riad e condenadas ao sofrimento. Comenta que já nem se lembra da primeira vez que o fez, uma vez que considera esta pena «uma forma de compaixão»: «Deus fez as suas leis para o bem-estar dos crentes, para os colocar no bom caminho e conduzi-los à salvação. O Todo-Poderoso é misericordioso, justo e sábio». Acrescenta que «se a mulher estiver doente ou grávida, a execução da pena é adiada».

Obrigada a http://segredos-do-oceano.blogspot.com/2006/03/sobre-profisso-chicoteador-de-mulheres.html

http://snipurl.com/3ezvl

Mulher violada é condenada a 200 chibatadas

Arábia Saudita:
Mulher violada é condenada a 200 chibatadas

Um tribunal saudita condenou hoje a 200 chibatadas e seis meses de prisão uma mulher que foi vítima de violação em grupo, por infringir as leis de segregação por sexo do país.

A mulher, 19 anos, membro da comunidade xiita, foi violada 14 vezes durante o ataque de um gangue na região leste do país.

Inicialmente foi condenada a 90 chibatadas por violar as leis sauditas, que proíbem qualquer forma de associação entre homens e mulheres não relacionados entre si. A mulher tinha estado no carro de um homem desconhecido durante o ataque.

Quando a vítima apelou à Justiça, os juízes encarregados do caso afirmaram que ela teria tentado usar os meios de comunicação social para influenciar a decisão do tribunal, decidindo por isso duplicar a pena e condenar a vítima à prisão.

Os juízes também duplicaram a pena dos violadores, inicialmente condenados a cinco anos.

Segundo os jornais sauditas, a violação ocorreu há um ano e meio numa província do leste do país.
Sete homens da maioria sunita do país foram considerados culpados pela violação e condenados a penas de um a cinco anos. As penas foram duplicadas depois do apelo, mas mesmo assim foram consideradas brandas, uma vez que o país prevê pena de morte para violadores.

Os jornais sauditas citaram a declaração de um responsável que afirmou que os juízes decidiram punir a vítima porque esta teria tentado influenciar o poder judiciário através dos media.

O advogado da vítima foi suspenso do caso, teve a respectiva licença confiscada e enfrenta um processo disciplinar.

É a segunda vez que publico esta notícia, embora não com o diagrama.

Não é ler-se muito em quantidade, mas sim ler-se-se bem e muitas vezes, o que é bom ler, que se aprende algo mais… do mundo interno do ser humano.

Gostaria de vir a saber mais sobre a exactidão destas notícias assim como de aquirir mais dados sobre esta mulher e este caso… Se souber, ou se souber quem possa vir a saber, diga-me, por favor.







Os ”Contos de Fadas” para Adultos

rachel weisz snow white 01

Rachel Weisz portrays Snow White in this image created by photographer Annie Leibovitz.

+ del.icio.us
+ digg

(Esqueçamos por um momento, que isto …não é a Branca de Neve. Esqueçamos que esta é a Branca de Neve da Disney.)

Os que os contos de fadas contam é uma realidade humana (que às vezes, não é coisa que se apresente a criancinhas). Os contos da Disneyland não, mas sim muitos dos contos que não estejam deturpados.

Temos aqui portanto uma belíssima fotografia, que traz à realidade contos não reais (os da Disney) baseados em contos reais, os quais costumam ter ilustrações ”irreais”…

______________________________________________________________

Quem terá sido a alma abençoada que manteve a lucidez, ao editar e reeditar ”A Menina do Mar”, ”A Fada Oriana”, ”A Floresta”, ”O Príncipe da Dinamarca”, da Sophia de Mello, sem imagens figurativas, tipo Disney ou coisa do género? Nem foi só o não ter imagens, foi toda a concepção tipográfica daqueles livros, que foi perfeita: o formato diferente, mais pequeno; as letras grandes, e espessas; e esbatidas. A pessoa em questão merece um prémio extraordinário.

_____________________________________________________________

Mas falávamos de ilustrações para adultos… a ver se finalmente enxergam alguma coisa de Contos…!

Gravura de uma edição do século XIX da Branca de Neve

Gravura de uma edição da Branca de Neve, do sec. XIX

Uma Educação Global

The impact on educational analysis of mainstream international relations (IR) theories is yet to realize its full potential. The problem of education in relation to the construction of world order is considered in relation to core developments in IR theory since the Second World War. In particular, the global architecture of education is seen as a complex web of ideas, networks of influence, policy frameworks and practices, financial arrangements and organizational structures – a system of global power relations that exerts a heavy, even determining, influence on how education is constructed around the world. The past decade has seen the rise of fresh understandings of global governance, an emerging theme in international relations that bears considerable potential for new forms of analysis in education, especially for clarifying the significance of the global architecture of education. Fresh understandings of education as a contributor to world order, viewed in the light of shifting global power relations and patterns of global governance, see education remaining relatively undeveloped as a builder of world order, despite decades of normatively-inspired assertions to the contrary. (Philip W. Jones, Education and World Order”, Comparative Education, August 2007

Copiado do P.Guinote

Contos de Fada – página foi acrescentada

Esta entrada é para dizer que na página Contos de Fadas, e na sub-página Gatas Borralheiras, encontra-se o Conto da Gata Borralheira numa óptima versão portuguesa, com ilustrações. Pode-se imprimir e ler às crianças essa versão…. e lá se encontram também as ligações para ballet e ópera do mesmo conto.

Outra sugestão a pais: o video do ballet por exemplo, em vez do filme Walt Disney…e se alguma vez puder ir à ópera… as crianças adoram….

O video que se segue é uma óptima interpretação de parte da história da Gata Borralheira, mas é em holandês…

___________________________________________________________

Voor Nederlandse bezoekers:

Ik heb mijzelf verdiept in sprookjes. In dit blog kan je opera en ballet van Assepoester finden (zoek bij ”Gata Borralheira” and ”Contos de Fadas”). Of zie de links boven, voor opera and ballet. Hier is een leuke representatie van Assepoester:


Plien en Bianca: Assepoester

02:13

O mais precioso do mundo segundo Gadamer

GADAMER: POPPER E LA VIOLENZA IN TELEVISIONE
05:33

Jorge (o) Amado, e Combate Wiki(ng)pédico

Há uns tempos fiz umas tentativas de colaboração na Wikipédia. Muito instrutivo!

Não fazia ideia de que uma coisa assim existisse, ou fosse possível… Sabia que a maioria das páginas (claro que não todas…pressuponho) estão tomadas por brasileiros um tanto agressivos que mudam a maioria do que um português escreva, e discutem insultando, e perguntando se a Wikipédia é só para Portugal? – o que dá imensa vontade de rir, basta consultar a wikipédia-pt.. Espero que já tenho melhorado. Mas o que presenciei é significativo: discussões incríveis, insultos ignorantes e descabidos; assim como portugueses a aceitar aquela enxurrada de humilhações, como se nada de melhor merecessem – depois dos horríveis crimes que cometeram – isto é, que os antepassados deles cometeram.

E enquanto choviam aquelas asneira de ”que é, você pensa que isto é outra vez tudo para voçê, não, que está falando com índio nú…que somos seus escravos” etc., uma pessoa vai pensando naqueles amores todos que sempre encheram nossa vida: as coisas de criança, ”O Meu Pé de Laranja Lima”, o Jorge Amado, Pessoa e Mário de Sá-Carneiro ditos pela Maria Betânia, o amor à natureza brasileira, à melodia do seu geito de falar… e … foge-se assustado… Mas são os resultados de tanta ignorância e desinformação (a qual, atenção, não é, na maior parte, responsabilidade deles).

Temos a agradecer-lhes aquilo que é provavelmente a pior Wikipédia Europeia, – de certo que é – de longe – a pior que conheço, entre as 7 línguas diferentes em que a posso comparar detalhadamente.

Se tem talento para tal, não se esqueça dessa hipótese: melhorar a Wikipédia portuguesa…. mesmo que um dia se faça outra…

Ritornello II

Caros leitores e visitantes. Houve um pequeno contratempo a respeito da petição pela continuação do programa de rádio Ritornello.

Também, é compreensível… nós não estamos muito habituados a empreendimentos…. é natural que não tivesse ido bem logo à primeira 🙂

Volte por favor ao Valquírio para poder assinar a petição, pois a outra não resultou, devido a questões de ordem técnica.

Sublinho de novo o quão importante exercício é esforçarmo-nos por fomentar o que temos de bom. Agradecemos a colaboração e compreensão. Obrigada.

PETIÇÃO RITORNELLO – Pela Música

Battoni Euterpe.jpg

Euterpe and Urania. Detail from Pompeo Battoni, Apollo and the Two Muses. Euterpe, musa da música, com Urânia à sua esquerda.

Euterpe, com a sua flauta, representação da melodia, eleva-nos ao Céu.

Dedicado a Jorge Rodrigues. Um homem que às vezes também ”nos elevava ao Céu”, depois de um dia de trabalho. Deve ser por isso que o querem impedir. Temos sempre tendência a querer destruir aquilo que é simples, modesto, si próprio, genuino e autêntico. E o Jorge é tudo isso.

Para quem não conhece o programa que o Jorge faz – fazia – todos os fins de tarde durante a semana, eu explico. O Ritornello é um programa de rádio de música erudita, sem defeitos. Tem inspirado e alegrado e ensinado centenas e centenas de pessoas. Através dele, temos ”conversado” com artistas famosos internacionais – como por exemplo, Cecília Barttoli. Ela também esteve a conversar relaxadamente com o Jorge. É que, conversar com o Jorge é especial. Verdadeiramente erudito, ele fala sempre como quem não sabe, ele pergunta sempre, ele é a voz da elegância e descrição. Os programas de música do Jorge não têem nenhum dos defeitos que quem é jovem, às veze,s pode sentir num programa de música erudita: o Jorge não sabe ser chato. Nem pedante; como às vezes, alguns são. Ouve-se como ele valoriza as pessoas. E é a voz masculina mais terna e mais … insubstiuível, de Portugal inteiro.

Ajudem, caros leitores, a salvar uma jóia da beleza em Portugal; que não custa dinheiro, nem custa nada a ninguém. A única coisa que pedimos – E EXIGIMOS – é que deixem este grande (andr)agogo (educador) continuar a fazer o seu – não é bom, é: perfeito trabalho.

Eles, se querem arranjar, arrangem o que está estragado. Se querem modificar, modifiquem o que está mal. É disso que precisamos. É disso que precisa Portugal. Metam mãos à obra quanto ao que não presta. Não mexam nos Anjos; nos pouquíssimos, que têem acesso às Musas.

***

Extracto da petição:

 

Existe ou aliás existia um programa de nome “Ritornello” da autoria de Jorge Rodrigues, que é, sem dúvida, o melhor programa da rádio portuguesa. Não somos os únicos a afirmá-lo, mas também o índice de audiência e, acima de tudo, o impacto que tem tido, ao longo de todos estes anos, na cultura nacional e internacional.

É um programa com uma magnífica selecção de música, de temas e de informação, com uma dinâmica muito especial e com um importantíssimo lado lúdico. É o único programa que entra na casa dos grandes artistas, porque Jorge Rodrigues é alguém que sabe do que fala, sabe o que tem de perguntar e, quando não sabe, não se envergonha de convidar alguém que saiba mais para esclarece-lo e aos ouvintes também. O “Ritornello” é um programa de cultura e de humanismo e, por conseguinte, não podemos deixar que a incompetência e supostas invejas calem este programa.

Texto acima é citado da petição, A SOLICITAR O REGRESSO DO JORGE RODRIGUES COM O RITORNELLO E NO SEU FORMATO INICIAL DE DUAS HORAS.
Os sublinhados são meus. Aqui, para assinar. Já 639 pessoas atentas assinaram. Ler o restante texto da petição AQUI.

 

A fotografia do Jorge Rodrigues, e a notícia agradeço ao Paulo no seu Valquíria, assim como à jardineira aprendiz, no Cores da Terra: Que Euterpe e Terpsícore vos acompanhem.

 

Bater nas crianças – NÃO!!!

Dado o tema de que se trata, cito aqui o que disse uma ou outra evangelista americana de TV, palavras que uma bloguista portuguesa apoiou a ponto de as publicar e aclamar!!!

Publico o texto, seguido do comentário que deixei no blog ! De momento não tenho tempo para mais… mas o assunto é tão importante que eu não pude deixar passar.

Com respeito aos acontecimentos de Blacksburg, encontrei n’ O Melhor dos Blogs um texto de Anne Graham, a filha do grande evangelista baptista Billy Graham, que já conhecia mas que vem bem a propósito:
À pergunta que lhe foi feita na televisão: “Como é que Deus permitiu uma coisa tão horrorosa, como foi o 11 de Setembro em Nova Iorque?”, Anne Graham respondeu:
“Eu creio que Deus ficou profundamente triste, como nós ficámos. Há muitos anos que vimos pedindo para Deus não interferir nas nossas escolhas pessoais, para saír do nosso governo e das nossas vidas. Sendo respeitador como é, calmamente, Deus deixou-nos. Sendo assim, como podemos esperar que Deus nos dê a sua bênção e a sua protecção?
E continuou:– É verdade! Gritamos, quando há ataques terroristas e tiroteio nas escolas! No entanto, eu creio que tudo começou desde que Madeleine Murray 0’Hare (que acabou também ela por ser assassinada), disse que era impróprio fazer oração nas escolas americanas, como era costume. E concordámos com a sua opinião! Depois, alguém disse que era melhor não ler mais a Bíblia nas escolas! E concordámos!
– Em seguida, – prosseguiu – o Dr. Benjamim Spock disse que não devíamos bater nos nossos filhos quando se comportassem mal, porque a sua personalidade, em formação, ficaria distorcida e prejudicaríamos a sua auto-estima! O seu filho suicidou-se! E dissemos: Um perito neste assunto deve saber o que está a dizer! E concordámos com ele!
Mais tarde, alguém disse que os professores e directores das escolas não deviam disciplinar nem corrigir os nossos filhos, quando se comportassem mal!– Foi decidido, de imediato, que nenhum professor podia tocar nos alunos! Uma coisa é disciplinar, outra é tocar, bem o sabemos!
– Alguém sugeriu, ainda, que deveríamos deixar que as nossas filhas fizessem aborto, se assim o quisessem! E aceitámos sem pestanejar. Sem nos interrogarmos!
– Foi dito, ainda, que devíamos dar aos nossos filhos os preservativos, tantos quantos quises-sem, para fazerem sexo até à saciedade; dar-lhes revistas com mulheres nuas e colocar, na internet, fotos de crianças nuas!– E dissemos: Está bem! Isto é democracia e eles têm o direito de apreciar o corpo feminino, de fazerem o que quiserem, porque tudo isto é sadio!…
Agora, perguntamos:– Porque é que os nossos filhos não sabem distinguir o bem do mal, o certo do errado, não têm consciência, nem se incomodam de matar… mesmo os colegas de escola ou a si mesmos?!”
A resposta é uma só: – Colhemos aquilo que semeámos!

Minha crítica:
Cara Senhora,
Considero este assunto tão importante, que vou publicá-lo no meu blog! Uma criança que tenha apanhado menos devido a algum pai que leia isto, e já valeu a pena. Mas discutindo, poderemos fazer muito mais, e que sejam muitas as crianças e os pais que leiam… e que ao ir bater… pensem: É INÚTIL E ERRADO. ERRADÍSSIMO!!!!!!!

Lamento que apoie – ainda por cima a ponto de publicar e elogiar texto tão detestável, o qual, defende, entre outras coisas péssimas, que se espanque crianças! Por outro lado, agradeço que o tenha tornado público, a esse seu apoio, assim como o de todos os que não reagiram com horror a tais palavras. Torna assim possível a discussão, e que se tire das cabeças bem intencionadas, as ideias erradas e mentiras a este respeito.
Tem uma criança de semanas ao colo, e anda a fazer a apologia de pessoas que defendem o retorno da violência sobre as crianças, ignorando completamente o significado da descoberta e compreensão tão recente (neste período humano) de que é com o amor, a inteligência, a compreensão, a empatia, a beleza, o exemplo, a imaginação, a compaixão, a reflexãoa e a meditação, a liberdade, o exercício, a arte, a cultura, que se educa as crianças bem; NÃO bater-lhes como método: fruto do ódio, da ira, da mesquinhez, da estupidez, da ignorância, da maldade, e de ideias erradas, mentiras.

A todos os que se sintam atraídos por tais métodos, peço que leiam livros sobre psicologia… as crianças espancadas não são de forma alguma mais bem educadas.

Deu muito trabalho a algumas pessoas corajosas, pioneiros, acabarem com milénios de história de crueldade legitimizada como método necessário e eficiente de educação!

Graças a eles, milhares de crianças desenvolvem-se hoje em dia, dezenas ou centenas de vezes melhor, tanto mentalmente, como fisicamente, como emocionalmente.

Aconselho todos os que pensam que bater nas criancinhas é necessário, a investigarem o assunto.  Bater nas crianças é precisamente equivalente a homens baterem nas mulheres, ou donos que batiam nos escravos! Tão ignorante, tão estúpido e tão inútil quanto pensar que deve bater nas mulheres, e nos empregados, porque ”quando não eles não aprendem”.

Revolução do Nascimento/Parto

Este artigo está relacionado com o seguinte, e lamento que esse seja em inglês pois não tenho tempo para o traduzir.

Eis o que aparece no Google, na PubMed, quando se procura ”birht revolution”:

Related Links

Mas isto é desinformação e mentira.

Revolução do nascimento, não é de forma alguma, nunca foi, a indústria da fertilização, dos laboratórios de bébés proveta, etc. Muito pelo contrário!

A revolução do nascimento, é o movimento começado, pela luta de pioneiros que foram marginalizados. Devido a estes pioneiros, os quais aliás raramente recebem sequer uma menção, quanto mais o reconhecimento que merecem, é que temos a ”revolução”, a qual aliás é uma transicção, uma profunda modificação, transformação, pacífica, na visão e prática do parto.

Compreendamos hoje em dia que mais tarde, essas compreensões ou descobertas de pioneiros, só começam a ser aplicados massivamente, quando um pequeno grupo de pessoas adquire o controle sobre a (gigantesca) vantagem financeira que pode extraír dessas verdades pioneiras, e começa a sua acção. É o que se passa agora com a ”Revolução do nascimento”, como pode ver no artigo seguinte, cujo título no Independente é esse mesmo.

A gigantesca desonestidade, está (sempre?) em esconder metade da verdade…

O estabelecimento industrial, patriarcal, lucrativo, utilitarista, técnicológico e materialista, médico, de saúde, farmácia, etc., justamente, defendeu, apoiou, perpetuou e lucrou com a prática desumana de técnicas de tortura atroz, durante o parto, – ou com a destruição do parto – e com o impedimento do esclarecimento e desenvolvimento da compreensão e da libertação, que tornam possível um parto totalmente diferente, humano, e até mesmo, belo, que merece o nome de ”dar à Luz”.

E agora… agora até vão começar a dizer que graças ao grande desenvolvimento técnológico, que faz possível o avanço da ciência e da medicina, se descobriu que o parto ”natural” é melhor… em casa? É mentira, pura e simplesmente! Vão fingir serem eles os autores de uma descoberta… que fizeram tudo por combater, reprimir e esconder.

O que se passa é que o parto natural e consciente, que aos poucos se está a tornar conhecido das mulheres, apesar do ”estabelecimento e regime industrial”, é completamente incompatível com esse estabelecimento! Não é forçosamente incompatível com um Hospital – é sim incompatível com os Hospitais que se têem vindo a desenvolver mundo fora, só interessados em lucro, e desumanos.

O parto natural, não se deixa comandar à hora, e ao esquema dos interesses financeiros de gente idiota de quem só pensa em dinheiro. O parto natural não é instantâneo nem fácil, nem a repetição maquinal barata de uma fábrica… É para ele que as Maternidades e a boa tradição portuguesa das boas Maternidades, deveriam existir!

O que pensava Pitágoras das mulheres?

”There is a good principle which created order, light, and man, and an evil principle which created chaos, darkness, and woman”.
Pythagoras

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑