No artigo que citei na “mensagem -3”  intitulado “OIE diz que não há provas para atribuir a gripe suína aos porcos”, lemos que o Director da Organização Mundial Saúde Animal (OIE), afirma que “O vírus não foi isolado até agora nos animais. Não se justifica então que a doença seja chamada de gripe suína”  e

“não se tem provas de que este vírus transmitido atualmente entre humanos tenha uma origem animal conhecida.”

e até “Não há nenhum elemento a respeito“, (passe o mau português)

e “Vallat recordou que, no México, os casos foram registrados na cidade e não correspondem a contatos entre animais e seres humanos. “Trata-se no momento de uma epidemia humana”, enfatizou.)

Esta informação é completamente contraditória com a do artigo de 13 de Julho, citado na mensagem-4, “o confinamento dos animais e o manejo inadequado dos dejetos – como a existência de lagunas fecais – propiciam o surgimento de patógenos e de vírus como o AH1N1.”

Apesar de podermos observar que, DE FACTO, O NOME DA DOENÇA foi mudado, exactamente como dizia o Director da OIE , as declarações neste mesmo artigo, são contraditória com a informação que o próprio nos dera.

Anúncios