É no sal é que está o mal?

É certo que neste post que pede um pouco da sua paciência, juntei várias coisas: o que se passa em matadouros, ser vegetariano, aditivos alimentares, e mais. Descubra as diferenças, as semelhanças e pense nas relações. No fim, tem os links para um pequeno guia com os nomes dos aditivos mais usados, o seu código E-qualquer coisa, e seus efeitos e perigos. Esse é o ponto fulcral desta entrada.

No fim de ler esta entrada, e o livro, estará apta, sem grandes dificuldades, a fazer com que os seus filhos, ou familiares comam menos de 50% das substâncias prejudiciais que comem hoje em dia. Valerá a pena?

.

Comecemos com este curto vídeo: Alimentos que surgiram das Guerras:

.

Se calhar os “reis”” não tinham propriamente “escravos” a conquistar terrenos, mas pronto. Também muitas vezes, pouca diferença havia… Além disso, há locais na terra onde a fome não é uma ilusão, porque não há lá nem verdes, nem cactos tão pouco. Mas que pode haver muito menos fome, isso é certo. Depende de nós.

.

Matadouro Kosher (Agriprocessors -part 3) ESTE VÍDEO NÃO É ACONSELHÁVEL PARA CRIANÇAS. Mas é aconselhável aos adultos carnívoros. É uma ilusão as pessoas pensarem que a matança dos animais em massa pode não envolver sofrimento intenso. Até os animais que cresceram livres e sãos, sabem muitas vezes quando vão ser mortos, gritam desesperadamente durante horas, ou as mães pelos seus filhos, etc.

.

.

Avanços do vegetarianismo

.
Nota à parte: Vegetarianos existem há milhares de anos. Todos se chamaram “vegetarianos”. Mas não os judeus. Um judeu não se torna vegetariano. Torna-se vegetariano-judaico. 🙂

Quem é que fomenta a segregação e a divisão? Quem é que lidera e é especialista na presente classificação e divisão dos humanos em compartimentos, equipas e pólos opostos? – não sei, mas isto não tem nada a ver com esta questão…
Ou tem?… E se tantas regras no Antigo Testamento sobre como comer e sacrificar animais, quais os animais a comer, e a oferecer… tivessem sido necessárias devido a uma nova tradição que se introduziu algures no tempo, uma então nova época da humanidade, distante de outros períodos da humanidade, em que sacrificar animais aos deuses, ou comê-los, era inconcebível. Então, afinal, tudo isto se relaciona um pouco…
Swedenborg confirma que a Bíblia refere isso mesmo, novos  períodos da Humanidade, de seus estados espirituais (a que ele chama diferentes Igrejas).
.
Já nem sei o que é pior, se comer os vermes, minhocas e insectos gigantes como o fazem os chineses (bah! – eu não obrigada! mas é certo que esses animais sofrem menos) e que são compreensivelmente interditos aos judeus e cristãos (os egípcios também não comiam tal “repasto”), se antes a carnificina mundial que acontece hoje em dia, depois manjada com todo o tipo de molhinhos (e aditivos), pelos carnívoros. Mas graças a Deus, eu, não tenho que fazer essa escolha.
.
Há coisas fáceis de se resolverem. E uma delas, é esta. Ninguém o obriga, mas o que é certo é que ser-se vegetariano hoje em dia, é canja. Nada que se compare com as perseguições de antigamente, os ódios. Abundam as receitas detalhadas, as informações. Ninguém que saiba ler pode manter o velho “a carne é precisa”, (salvo raras excepções) porque as demonstrações em contrário, de vegetarianos abarrotando saúde, abundam ainda mais do que as receitas. E quem pode dizer que é comida de coelho?
Entretanto:
Não seria uma boa ocasião de os judeus vegetarianos pensarem… “que boa oportunidade de sermos solidários, comungando com outros, não judeus, de um mesmo bem… e sermos, simplesmente, vegetarianos, em vez de judeus-vegetarianos!? Afinal de contas, outros já nos vão à frente, há muitos milénios!”?

É só uma pergunta que faço.

.

Com toda a probabilidade, pelo menos uma grande parte dos Essénios, e dos grupos de Cristãos gnósticos, distanciavam-se e distinguiam-se de outros judeus e cristãos, entre outras coisas, por serem vegetarianos. Quem sabe, já naquela altura eles eram perseguidos ou desprezados? Não queimaram todo o grupo de estudantes de Pitágoras, e eles não eram vegetarianos? Interessante como tanto a Igreja Cristã em geral, como o Judaísmo, têm combatido os pobres dos vegetarianos… e de forma estranha, como que perversa mesmo, escondendo a sua possibilidade, a sua existência…
Alimentando essa ideia falsa de que a carne é a alimentação do homem. E essa imagem falsa de que másculos são os homens que comem carne, e que os vegetarianos têm que ser todos uns lingrinhas anémicos, sem vigor. Não que não os haja vegetarianos, mas isso é por outras razões e os lingrinhas vegetarianos, podem-no ser também, sem serem vegetarianos.
Ser vegetariano em si mesmo, não é prova de nada, mas pode ser condição necessária para muita coisa. Veja-se o vídeo dos diálogos com os ortodoxos: “primeiro é preciso purificar o corpo”.
.
“there is a strong link between the transport of live animals and the potential spread of disease.”
.
.
O sofrimento dos animais, é acompanhado da produção de hormonas e outras substâncias químicas que permanecem na carne, e que são também prejudiciais para o ser humano.
.
.

Para aqueles que querem ler o necessário sobre as outras dezenas de aditivos alimentares, alguns, tão ou mais prejudiciais

Additifs Alimentaires Danger - Le Guide Indispensable Pour Ne Plus Vous Empoisonner (Livre) - Livres et BD d'occasion - Achat et venteque o acima descrito, de forma a poderem proteger-se, e a saberem ler as “descrições” nos pacotes de alimentos, aconselho um pequenino livro por 7,60 €,

um óptimo pequeno guia que pode levar consigo para o supermercado.
Lamento não encontrar o livro em inglês, mas aconselho tentarem o francês, à esquerda, ou o espanhol, em baixo.
Los aditivos alimentarios/ The Food Additives [Click for larger image]
Esta é a edição espanhola, por 14 €, clique no livro.
Author: Corinne Gouget
Format: Paperback
Publish Date: October 2008
ISBN-10: 8497774922
ISBN-13: 9788497774925
List Price: $13.95
.
.
O livro e uma lista dos produtos, com indicação dos seus efeitos, divididos por 3 cores, vermelho, laranja e verde. Os vermelhos são os que se devem evitar de todo, a laranja os perigosos e a verde os que não fazem mal.

Dei-me ao trabalho de contar os vermelhos: são 170!! Estão em… tudo. Coisas tão inocentes como o queijo, por exemplo.

Voor netherlanders die mij bezoeken, hier is een boek die iedereen zou moeten lezen, tenminste als je verantwoordlijkheid draagt voor de voeding van andere mensen.
Samenvatting & achtergrondinformatieBegin 2007 was Will Jansen voor een culinaire reis in Frankrijk en zag in een boekwi

nkel het boekje Additifs Allimentaires liggen. Hij was toen druk bezig met de Culinaire Almanak en vooral de wikkels van de kant-en-klaarmaaltijden die getest werden, hadden zijn aandacht ge tro k ken. Op internetsites als http://www.aspartaam.com las hij een verontrustend verhaal over E-nummers die zonder enige terughouding aan zijn eten toegevoegd worden.

Het is geschreven door Corinne Gouget en het benoemt alle tot nu toe bekende E-nummers en hun bijwerkingen. Veertien jaar heeft Gouget onderzoeken en literatuur bestudeerd en dat alles opgenomen in een handzaam boekje. Will Jansen besloot de gids te vertalen voor de Nederlandse markt. Regelmatig kwam hij geschokt vertellen dat er zoutzuur, chloor of aluminium in zijn – en uw – eten zit. Gewoon eten dat we nietsvermoedend bij onze goedgesorteerde supermarkt kopen. En we eten zo gezond en bewust en we kopen biologisch, maar het zit echt overal in.