Dos melhores blogues que conheci:   

República do Café VIDA E CULTURA DE CAFÉ

Eu, que ainda não cheguei ao tempo (nunca se sabe o futuro) de frequentar cafés, gostei deste a valer. Ao menos lá, sim, vê-se boa gente, ouvem-se pessoas inteligentes, encontram-se artistas… e muito mais.

O que se segue é um extracto:

Para o café!

Quando estás preocupado ou tens algum problema − para o café!

Quando ela falta ao encontro, por uma razão ou por outra − para o café!

Quando os teus sapatos estão velhos e rotos − café!

Quando o teu rendimento é de quatrocentas coroas e gastas quinhentas − café!

Na repartição fazes cera, embora ambicionasses honras profissionais − café!

Não conseguiste encontrar o teu par ideal − café!

Tens vontade de cometer suicídio − café!

Detestas e desprezas os seres humanos, mas ao mesmo tempo não consegues
passar sem eles − café!

Compões um poema que não consegues impingir aos amigos que passam na
rua − café!

Quando o teu carvão se acabou e a ração de gás se esgotou − café!

Quando ficas fechado na rua e não tens dinheiro para mandar abrir a porta − café!

Quando arranjas uma nova paixão e desejas provocar a antiga, levas a nova ao
− café da antiga!

Quando te queres esconder, mergulhas num − café!

Quando queres ser visto num fato novo − café!

Quando já não consegues nada fiado em qualquer outro sítio − café!

Peter Altenberg

© Tradução de J.B.

fotografia: Peter Altenberg no Café Central,
Viena, 1907.

E já agora o link, para um artigo de 2006, com biografias dos frequentadores do Café Central de Viena, não excluindo as mulheres – Milena Jesenská,Alma Mahler-Werfel, e mais, muito mais.

Anúncios