Este postal está relacionada com o anterior.

Graças à enorme neutralidade que existe hoje em dia, graças à verdade, à eficácia que impera nos meios de comunicação, nos meios científicos e nas equipas de pesquisa. Graças ao facto de vivermos uma época política rica em justiça, paz, isenção, aplicação de justiça crítica, e de respeito para com os sofrimentos dos povos do mundo. Graças a termos passado aquele tempo em que uns dois grandes grupos de poderosos da humanidade se reunira deturpando tudo o que não era de seu interesse e defesa, obcecados apenas consigo e seu poder, branqueando toda a sua história e existência….

Bem, graças a tudo isto, não vejo qualquer motivo para preocupação com este projecto, neste momento da História Portuguesa…

Cinco milhões de imagens
19.01.2008 – 14h49 Inês Santinhos Gonçalves

Cinco milhões de imagens do arquivo da Inquisição de Lisboa vão estar disponíveis on-line. O processo de recuperação e digitalização integral dos 17.980 processos, referentes ao período entre 1536 e 1821, ainda vai demorar cerca de três anos a estar completo, mas constitui, sem dúvida, uma boa notícia para os investigadores.
O anúncio foi feito pelo director do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Silvestre Lacerda. “Consideramos que a disponibilização destes processos é uma prioridade, já que são os mais consultados e os mais procurados por investigadores nacionais e estrangeiros.” O custo do projecto foi avaliado em um milhão de euros, mais de metade financiados pela REN (Rede Eléctrica Nacional), o mecenas desta iniciativa.

A Inquisição, como tribunal eclesiástico, perseguiu e condenou aqueles cujas acções e convicções diferiam das leis da Igreja católica. …

…”Para quando uma oliveira nas praças portuguesas, em Lisboa, Évora, Coimbra, onde mais de 2000 pessoas foram queimadas por expressarem opi-niões diferentes?”.

E vale a pena ler os comentários, sempre muito ajudados por brasileiros, nesta temática….

Bem eu por mim, gosto de oliveiras na Praça sempre. Para bem da Humanidade. Para a vinda do Espírito Santo… Agora que seja por essas 2000 almas de há quinhentos anos…. é curioso. Parece que todas estas pessoas só andam ocupadas em esconder a cabeça na areia!!! Em negar, em ignorar o que se passa em volta delas.

Isto é: relevante seria e será que se exija que não se façam as torturas pelas quais eles se indignam, AGORA, aos seres humanos agora torturados. Mas não. É como se se considerem humanos só a eles. Talvez sobre-humanos? Merecendo um tratamento muito superior a todos os outros. Não é?

Eu explico a seguir.