Arábia Saudita:
Mulher violada é condenada a 200 chibatadas

Um tribunal saudita condenou hoje a 200 chibatadas e seis meses de prisão uma mulher que foi vítima de violação em grupo, por infringir as leis de segregação por sexo do país.

A mulher, 19 anos, membro da comunidade xiita, foi violada 14 vezes durante o ataque de um gangue na região leste do país.

Inicialmente foi condenada a 90 chibatadas por violar as leis sauditas, que proíbem qualquer forma de associação entre homens e mulheres não relacionados entre si. A mulher tinha estado no carro de um homem desconhecido durante o ataque.

Quando a vítima apelou à Justiça, os juízes encarregados do caso afirmaram que ela teria tentado usar os meios de comunicação social para influenciar a decisão do tribunal, decidindo por isso duplicar a pena e condenar a vítima à prisão.

Os juízes também duplicaram a pena dos violadores, inicialmente condenados a cinco anos.

Segundo os jornais sauditas, a violação ocorreu há um ano e meio numa província do leste do país.
Sete homens da maioria sunita do país foram considerados culpados pela violação e condenados a penas de um a cinco anos. As penas foram duplicadas depois do apelo, mas mesmo assim foram consideradas brandas, uma vez que o país prevê pena de morte para violadores.

Os jornais sauditas citaram a declaração de um responsável que afirmou que os juízes decidiram punir a vítima porque esta teria tentado influenciar o poder judiciário através dos media.

O advogado da vítima foi suspenso do caso, teve a respectiva licença confiscada e enfrenta um processo disciplinar.

É a segunda vez que publico esta notícia, embora não com o diagrama.

Não é ler-se muito em quantidade, mas sim ler-se-se bem e muitas vezes, o que é bom ler, que se aprende algo mais… do mundo interno do ser humano.

Gostaria de vir a saber mais sobre a exactidão destas notícias assim como de aquirir mais dados sobre esta mulher e este caso… Se souber, ou se souber quem possa vir a saber, diga-me, por favor.