”I always admired the strength of women like Therese of Lisieux and Teresa of Avila.
When I read Teresa of Avila’s “The Interior Castle”, I remember thinking of the impact her writings must have had in the women of those of times and of the strength she must have had to stay true to her spiritual reality.
I like Sophia de Mello Breyner’s quote, and looking back at all women have suffered because of their sex, I ask… Isn’t it there also sanctity in the simple fact of being a Woman?”

(Comentário da Isabel à recente entrada ”O sexo impede”.)

Ler por favor este artigo no Marquesa, da Drª Cristina. Também guardei eu própria uns excertos, aqui:

Depois seguem-se os meus comentários:

Há muitas mulheres (não mutiladas, no mundo ocidental) que dizem que o pior do parto, foi a episitomia, e as complicações e dores que ela frequentemente provoca a seguir ao parto. A episitomia continua a ser feita em série, nos hospitais, sem qualquer necessidade, e apesar do sofrimento que provoca. Tem imensa influência na capacidade da mãe para um bom começo da maternidade e relação com a criança. No entanto, repito, continua a praticar-se em série (provavelmente menos em Portugal do que nos Paízes ”avançados”), como se o corpo da mulher, um bocado de carne fosse.

Voltando à questão da mutilação genital feminina, se a episitomia já é prejudicial e dolorosa, imagine-se o que é viver com as feridas e dores das mutilações nesses orgãos mais sensíveis do corpo.

No entanto, este crime é apenas uma pequena parte, – apesar da sua imensidade -, do sofrimento infligido às mulheres, graças ao conceito milenar de que a mulher é o mal, e o pecado. Eles são tantos assim, e outros ainda mais graves.

Um tribunal saudita condenou hoje a 200 chibatadas e seis meses de prisão uma mulher que foi vítima de violação em grupo, por infringir as leis de segregação por sexo do país.
A mulher, 19 anos, membro da comunidade xiita, foi violada 14 vezes durante o ataque de um gangue na região leste do país. Inicialmente foi condenada a 90 chibatadas por violar as leis sauditas, que proíbem qualquer forma de associação entre homens e mulheres não relacionados entre si. Ler aqui

”looking back at all women have suffered because of their sex, I ask… Isn’t it there also sanctity in the simple fact of being a Woman?” – (Isabel)