Perdi todo este texto, mais uma vez…

Aqui eu falara, em forma de verso… da casa onde estou, de estar neste Paíz e cidade de luz, …. num buraquinho escuro que é esta casa onde tudo é descuidado, até as estantes são feias, menos o que nela é do meu cuidado, os meus livros…

De como é estranho, ser só uma questão de ir tirar o livro da estante, para poder transcrever um meu poema preferido. Para mim, é estranho….

E de como ao mesmo tempo, o faço sob todos os sentimentos de culpa, pois que não devo… muitas outras obrigações me pressionam.

Por isso tanbém não tenho o sentimento para repetir o postal. Mas este é seguido pelo postal posterior com o que é um dos meus poemas favoritos: ”A Nossa Senhora” do A. Nobre.

Anúncios