Mas foram bem outras as coisas que me levaram a pesquisas, e por isso, a estas calmas considerções, interrompendo a fúria sagrada em que estava. E essas outras coisas foram também do foro do sagrado.

Por uma conversa de ontem que doeu, vi-me na necessidade de tentar saber mais sobre os Cátaros e a Inquisição… (Mas não há tempo para tudo!… )

Entretanto, num pequeno ”auge de fúria sagrada”, à qual aquela dor me levou, encontrei – até mesmo isto! – no youtube: das músicas mais belas. A ouvir nas melhores condições possíveis, por favor: se possível, de auscultadores…. e olhos (meio)-fechados…

Para mim, é uma surpresa enorme poder ver esta coisa, estes ”monstros sagrados” a cantar, depois de já me terem saturado a medula e as células – enfim, nas pouquíssimas alturas em que me pude dedicar a escutar música.

Obra musical que inclui a fúria Divina… fúria com tudo o que fizeram em nome de Deus, fúria com os farizeus dos dois milénios passados, fúria com a hipocresia que a todos nos aprisionou, e hoje, mais do que nunca. Fúria e cansaço com a nossa preferência pela escuridão na qual naufragamos… Mas não só.

Das minhas obras absolutamente favoritas, no que é a gravação favorita:

As grandes Leontyne Price e Fiorenza Cossotto, cantaram isto tão sublimamente!…. Com todo o coração presente. Cossotto está linda, para além da maravilha do canto.

Verdi – Requiem
09:22

From: tiagopapoose

 

(PS-Afinal é adequado colocar aqui esta música…mas vou postar mais deste meu favorito, talvez na Lira)

De volta ao sagrado.

Anúncios